Graduação Pós-Graduação Pesquisa Extensão Biblioteca Intercâmbios Comunicação A FFLCH  
Skip to Content

Safa A-C Jubran

Área: 
Árabe
Formação: 

·         Professora efetiva da Universidade de São Paulo no Departamento de Letras Orienta

·         Livre-Docente em Língua Árabe (2010)

·         Doutora em Lingüística pela Universidade de São Paulo (2001)

·         Mestre em Lingüística pela Universidade de São Paulo (1996)

·         Bacharel em Letras pela Universidade de São Paulo (1990)

-        Pesquisadora e colaboradora no Centro de Simão Mathias (CESIMA (PUC-SP) na PUC de São Paulo desde 2006, onde é pesquisadora e colaboradora

-        Membro do Conselho Editorial da Revisa Tiraz (Revista de Estudos árabes e das culturas do oriente Médio). ISSN: 1807-0604

-        Membro do Conselho Editorial de circumscribere (International Journal for the History of Science)- ISSN: 1980-7651

-        Tem pesquisas em: Língua e Linguística  Árabe, Fonética e Fonologia, Filologia, Tradução e versão e História da Ciência.

Email: 
sjubran@usp.br
Telefone: 
3091-4602
Linhas de Pesquisa: 

1.      Estudos lingüísticos do árabe

Visa a língua árabe nos diversos níveis (fonético-fonológico, morfológico e sintático). Foca, ademais, o código lingüístico nas dimensões sincrônicas e diacrônicas. Dedica atenção especial à questão da diglossia. Procura estabelecer relações comparativo-contrastivas, especialmente com o português, haja vista que os estudos lingüísticos no Brasil em torno da língua árabe são ainda muito poucos. Deste modo, esta linha prevê abarcar projetos que possam descrever, analisar, comparar e contrastar a língua árabe com as outras línguas seja para fins aplicados, didáticos ou teóricos.

 

2.      Tradução e estudo críticos de fontes árabes

Existe uma grande carência de traduções de textos árabes nas culturas de língua portuguesa. Assim, o objetivo da presente linha é sanar essa lacuna. Textos literários, filosóficos, historiográficos, tanto medievais como modernos serão contemplados. É comum que textos medievais apresentem problemas de fixação, o que obriga o estudioso a recorrer a várias edições e não raro, manuscritos. Por isso, esta linha prevê a eventual fixação de alguns textos.